terça-feira, 16 de agosto de 2011

O medo da Borboleta

Borboleta, borboleta
nunca volte pro casulo
É melhor morrer voando
É melhor dançar no vento
Do que se esforçar pra não cair

Teu caminho é de brisa
pedras prendem tuas flores
pra que quando o vento sopre
esteja lá os teus amores / Sem tuas dores


Nunca tenha medo à vista
Pois o medo é egoísta
Bela vista, é altruísta
que só quer se avistar

E essa altura que te assusta
É o tamanho da tua asa
E se sinta convidada
Pra morar no meu jardim

4 comentários:

Bruno Dantas disse...

Confio, me afio... e me corto! Lindo Gu!

Nana... disse...

Clap Clap Clap vale?!
No momento o que me assusta é o tamanho das minhas asas!!

Vc é fods!

urbanascidades disse...

Desejo a ti, teus familiares e todos os visitantes do teu blog um Feliz Natal. Aproveito para informar que dia 02 de janeiro estreia Urbanascidades 2012, igual mas...diferente.
Paulo Bettanin.

Jessica disse...

Que belo!