terça-feira, 1 de junho de 2010

A chave e o indivíduo. (Mayam e gu²)


Eu te dei a chave
que abre o peito da minha cidade
Esqueci da cópia
para abrir caso voce me esqueça

porta fechada

Convencer que me olhar na fechadura
não vale nada
não cabe mais, aquela verdade

Sou todo nosso
e o resto é desespero
de quem não abre pra quem bate, porta retrato

O céu daqui são luzes artificiais
E sem olhar pra trás, peço, não me abra nunca mais

Me assustei com ela
que será, se dela chave está com ele ?
Nós trocamos os sentidos
Só nos falta trocar de indivíduos.

7 comentários:

Lú Fernandes disse...

Lindo txt! Sem palavras...

Bruno Dantas disse...

OLHA EU AQUI TB!!!!!!! foda!!!
bjs irmão!!!!

Keiny Luize disse...

sem palavras..
Parabéns!


Beijo beijo

Má Barros disse...

Te seguindo ^^!
Tem jogo de negrito no post?
Adoro,isso em post grandes.

bjs

Tati disse...

'[...]Sou todo nosso
e o resto é desespero[...]'

Mesmo que eu procure, não vou achar palavras pra transcrever o que o escrito me transmitiu. Intenso, simples, balanço bom, jogo de palavras perfeito.

Bom poder te ouvir.

Grande Beijo

Hanna Inaiáh disse...

"O céu daqui são luzes artificiais
E sem olhar pra trás, peço, não me abra nunca mais"

Perfeito!

B. disse...

LINDO!

"Eu te esqueci caso voce me esqueça fechada.
me olhar vale nada, não mais.
Sou resto de quem bate porta.
Daqui sem olhar, nunca me assustei com ela.
Que, chave nós trocamos,
Falta individuo. "